Botox ou Preenchimento?

Hoje em dia contamos com diversas tecnologias para rejuvenescimento. Entre todas as opções disponíveis, as que se destacam pelos seus resultados são a Toxina Botulínica (Botox) e os Preenchimentos de Ácido Hialurônico. Qual é melhor?

Primeiro precisamos entender de que forma cada um deles atua. A toxina botulínica age paralisando a musculatura da área onde é aplicada. Por exemplo, ao aplicarmos na testa (músculo frontal) ficaremos com essa musculatura paralisada. Esse músculo é responsável por elevar a sobrancelha (fazendo a “mímica de assustado”), porém é ele que acaba causando as rugas que temos nesta região. A mesma coisa ocorre ao aplicar a toxina na região próxima ao canto dos olhos, fazendo com que as ruguinhas “dos pés de galinha” (músculo orbicular dos olhos) se suavizem. E assim, utilizamos em diversas áreas da face, sendo as mais comuns na parte superior da face (testa, pés de galinha e entre as sobrancelhas). A aplicação da toxina botulínica é feita por pequenas injeções nas áreas adequadas. O efeito inicia em 2 dias e atinge o pico máximo de ação em 15 dias (quando é necessária a revisão para aplicar algum complemento). A duração do efeito é em torno de 5 meses, podendo durar mais ou menos conforme cada indivíduo e também de acordo com a técnica de aplicação do médico, quantidade, diluição e marca usada. Durante os meses em que a região está relaxada, a pele com as ruguinhas vai se tornando mais lisa.

Já o preenchimento de ácido hialurônico tem um propósito totalmente diferente. A ideia aqui é volumizar alguma região. Literalmente preencher. Pode ser usado para aumentar lábios, preencher olheiras, bigode chinês (sulco nasogeniano), marionete (sulco lábio mentoniano), dar mais volume para maçãs do rosto (região malar), queixo, mandíbula e inclusive empinar a ponta do nariz e corrigir irregularidades nele. O preenchimento é feito por meio de agulhas ou cânulas em determinada região, já apresentando o efeito no momento da aplicação. A duração varia conforme o produto e a densidade utilizada, durando em média 1 ano. Por ser um preenchedor não permanente, seu risco de reações alérgicas e imunológicas é muito menor do que o polimetilmetacrilato, conhecido por metacril ou PMMA, usando anos atrás.

E então? O que escolher? Cada procedimento tem sua indicação específica e dependo da queixa do paciente vamos indicar um ou outro. Porém, na grande maioria dos casos, para um rejuvenescimento global da face, é necessário utilizar os dois tratamentos, uma vez que estes se complementam e combinados conseguimos resultados muito bons. O ideal é o paciente procurar seu dermatologista de confiança e explicar o que está lhe incomodando, para receber orientação específica para o seu caso.




Dra Julia Ribar Médica Dermatologista Cremers 36932 │Rqe 35612

9 visualizações
consultórios

PORTO ALEGRE

R. Gomes Jardim, 201 - sala 603 - Torre Norte - MEDPLEX SANTANA SAÚDE

(51) 99549 - 3485

LAJEADO

Av. Benjamin Constant, 852 - sala 302 - Centro 

(51) 99190 - 3006